Buscar

Notícias

Compartilhe:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

82% dos fumantes trocariam cigarro por produtos de menor risco à saúde, aponta pesquisa
Já 79% da população é a favor da liberação dessas alternativas no País, revela Datafolha
Por AP Comunicação Estratégica
Imagem ilustrativa - Foto: Reprodução/Internet

Quantos, dos quase 20 milhões de adultos fumantes brasileiros, trocariam o cigarro convencional por uma opção potencialmente menos prejudicial? Quantos dos cerca de 88 milhões de não fumantes impactados pela convivência com fumantes indicariam aos seus parentes e amigos uma alternativa menos nociva à saúde deles e de terceiros? As respostas, surpreendentes, a estas questões foram obtidas pelo Instituto de Pesquisas Datafolha: 82% dos atuais fumantes optariam por uma solução menos danosa do que o cigarro, enquanto que 78% dos não fumantes recomendariam tais alternativas a terceiros.

Também segundo a pesquisa, a média declarada de consumo de cigarros no Brasil é de 13 unidades por dia para cada fumante. Sendo a venda de cigarros permitida no Brasil, o que pensam os brasileiros sobre restrições à comercialização de produtos que podem oferecer menos riscos à saúde? O Datafolha mostra que 79% dos brasileiros são favoráveis a que o governo autorize a venda deles no País. É um dado em linha com a resposta de 80% dos entrevistados que concordam que os fumantes deveriam ter acesso a produtos de risco reduzido. A comercialização desses produtos está banida no Brasil desde 2009, enquanto que em diversos países do mundo o tema tem avançado bastante. Agências como o Food and Drug Administration (FDA) nos Estados Unidos e a Agencia de Saúde Pública no Reino Unido (Public Health England) entendem que novas tecnologias de risco reduzido podem ter um papel importante na redução dos danos à saúde causados pelo cigarro, funcionando de maneira complementar às políticas públicas de cessação.

“É indiscutível que a maioria dos fumantes tem plena consciência dos danos causados pelo hábito de fumar cigarros. Contudo, muitos ainda continuarão fumando e sabem que sofrerão sérias consequências à sua saúde. A pergunta que se faz é, existindo soluções que tem o potencial de reduzir os danos à saúde, por que elas não estão hoje disponíveis aos adultos fumantes brasileiros? ”, argumenta Fernando Vieira, Diretor de Assuntos Corporativos da Philip Morris Brasil, empresa responsável pela contratação da pesquisa feita pelo Datafolha. Existem hoje milhões de pessoas que já trocaram o cigarro por produtos de risco reduzido em países como Japão, Alemanha, Itália, Suíça, Reino Unido, dentre muitos outros.

O principal motivo que leva os fumantes a se interessarem por produtos de menor risco está ligado ao bem-estar: 76% dizem que fariam a troca porque querem ter menos problemas de saúde. No entanto, a pesquisa mostrou que o brasileiro ainda desconhece que alternativas ao cigarro e de menor risco já estão disponíveis no exterior: 75% dos entrevistados não sabem definir o que ou quais seriam produtos de risco reduzido e, deste total, apenas 1% já ouviu falar das soluções já existentes que usam o tabaco aquecido.

O diretor da Philip Morris reconhece que a indústria tem um déficit reputacional com a sociedade e que há questionamentos de alguns setores da sociedade sobre as novas tecnologias de redução de risco no tabagismo. Mas salienta que “estamos encarando de frente esses problemas, sendo transparentes e investindo bilhões de dólares em ciência e tecnologia para oferecer aos adultos fumantes alternativas que podem melhorar suas vidas”. E complementa: “simplesmente não considerar alternativas cientificamente sólidas e continuar só falando mal da indústria do tabaco não irá resolver o problema e afastar as pessoas dos cigarros”.

A pesquisa do Datafolha foi feita em julho com pessoas de 18 anos ou mais, a maioria na faixa de 25 a 59 anos. As 1982 entrevistas foram distribuídas por 129 municípios de todas as regiões do país para representar a população brasileira maior de idade, pertencente a todas as classes econômicas, de acordo com cotas de sexo e idade baseadas na PNAD 2016 (IBGE).

SOBRE A PHILIP MORRIS INTERNATIONAL

A Philip Morris International (PMI) é uma das maiores companhias internacionais de tabaco fabricando e comercializando cigarros e outros produtos que contenham nicotina em mercados fora dos EUA. Estamos baseando nosso futuro em produtos livres de fumaça, que são uma alternativa muito melhor aos cigarros tradicionais. A nossa meta, através de nossas capacidades multidisciplinares em desenvolvimento de produtos, instalações de última geração e comprovação científica, é de assegurar que nossos produtos livres de fumaça atendem às preferências do consumidor adulto e os regulamentos mais rigorosos. Queremos ver esses produtos substituindo cigarros, para o benefício dos adultos fumantes, da sociedade, de nossa companhia e nossos acionistas.

A PMI investiu mais de US$ 4,7 bilhões em 15 anos no desenvolvimento, avaliação científica e produção de produtos inovadores que não produzem fumaça e oferecem aos fumantes, que de outra maneira continuariam fumando, uma opção melhor que o cigarro convencional. Elementos das pesquisas realizadas pela PMI encontram cada vez mais apoio de pesquisas independentes, com mais de 25 análises já publicadas por entidades de governo e centros de pesquisa independentes. A nossa ambição é de migrar aproximadamente 40 milhões de pessoas que fumam cigarros para nossos produtos livres de fumaça, representando 30% de nosso volume, até 2025.

No Brasil, a companhia atua desde 1973 e conta com 3 mil colaboradores. Para saber mais, visite nosso site: www.pmi.com/markets/brazil/pt/science-and-innovation.

Foto: AP Comunicação Estratégica
Postada em 08/11/2018 14:05
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Veja mais de Brasil/Mundo

1

Na br-312

Acidente com caminhonete carregada com frutas por pouco não termina em tragédia no Sertão

2

Por 2 a 1

Cruz vence Dom Pedro II e abre vantagem para chegar à final do Campeonato Delmirense

3

Capturado

Acusado de espancar e matar esposa gestante com panela de pressão é preso em Alagoas

4

À queima-roupa

Homem com passagem pela polícia por tráfico de drogas é assassinado com vários tiros

5

Forte declaração

“Ele deu dez facadas em minha filha”, diz mãe de vítima de atentado em Delmiro Gouveia

6

Casa caiu

Jovem é preso pela Rádio Patrulha em Santana do Ipanema ao ser flagrado com moto roubada

1

Operação Cavalo de Troia

Identificados os onze suspeitos de roubo a banco mortos em confronto com policiais

2

Fruto de roubo a banco

Mais de R$ 100 mil são recuperados em casa onde onze morreram em confronto com policiais

3

Operação Cavalo de Troia

Onze suspeitos de assalto a bancos morrem em confronto com policiais no Sertão de Alagoas

4

Por infrações

Secretário de Obras de São José da Tapera é autuado em mais de R$ 42 mil durante FPI

5

Emerson Emídio

Rapidinhas do universo político – O retorno

6

Onze mortos

Polícia Civil nomeia comissão para apurar troca de tiros em Santana do Ipanema

1

Operação Cavalo de Troia

Identificados os onze suspeitos de roubo a banco mortos em confronto com policiais

2

Operação Cavalo de Troia

Onze suspeitos de assalto a bancos morrem em confronto com policiais no Sertão de Alagoas

3

Violência

Recém liberado da cadeia, jovem é assassinado com tiros na cabeça em Senador Rui Palmeira

4

Fatalidade

Colisão frontal entre moto e carro resulta na morte de jovem entre Mata Grande e Inhapi

5

Ação rápida

Suspeitos de matar homem próximo de igreja em Senador Rui Palmeira são presos em operação

6

Fruto de roubo a banco

Mais de R$ 100 mil são recuperados em casa onde onze morreram em confronto com policiais