Buscar

Notícias

Compartilhe:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Ministra Cármen Lúcia, do STF, diz que Brasil passa por mudança perigosamente conservadora
Em palestra sobre os 30 anos da Constituição, ministra também afirmou que Brasil e outros países têm passado por mudanças, às vezes, 'perigosamente conservadoras' nos costumes
Por G1
Cármen Lúcia diz que vê "mudança perigosamente conservadora", durante palestra sobre os 30 anos da Constituição - Foto: Reprodução/Globo News

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira (5) que a sociedade não deve recuar de direitos sociais conquistados. A ministra disse, ainda, que o Brasil e outros países têm passado por mudança conservadora nos costumes, às vezes, “perigosamente conservadora”, em sua avaliação.

Em palestra sobre os 30 anos da Constituição, em Brasília, ela refletia sobre os direitos conquistados em 1988 que ainda precisam ser concretizados e de outros mais que, na visão dela, precisam ser adquiridos pela sociedade e conscientizados pelos cidadãos.

“Estamos vivendo mudança que não é só no Brasil. Uma mudança inclusive conservadora, em termos de costumes. Às vezes, na minha compreensão de mundo e é só na minha, não quer dizer que esteja certa, perigosamente conservadora. Porque a tendência na humanidade é de direitos sociais que são conquistados, a gente não recua”, afirmou a ministra.

Ela não detalhou quais mudanças nos costumes considera perigosas, nem citou eventos ou fatos que apontam nesse sentido. Enfatizou, contudo, a importância da convivência com quem pensa diferente.

“O brasileiro está nas ruas, o brasileiro está presente. Se ele está presente, e fala algo que o eleito não gosta, o diferente não é meu inimigo. É apenas isso, é diferente. E é de diferenças que nós fazemos a igualdade. Porque se não é diferente, eu não teria por quê cogitar de igualação, mas estou cogitando”, disse Cármen Lúcia.

Ao lado de reflexões sobre como o Judiciário vem interpretando a Constituição, no sentido de efetivar os direitos previstos na Carta, afirmou que “o Brasil andou politicamente, andou juridicamente, andou socialmente”.

“Andou não necessariamente para o que eu achava, como cidadã, que era uma linha que seguiria de forma reta”, emendou. "Primeiro, a história humana não vai em linha reta. A história tem suas ondulações, porque a história é feita de seres humanos com pensamentos e ideias diferentes. E é isso que acontece e é sobre isso que estamos a conversar hoje no Brasil", disse a ministra.

Palestras

À tarde, outros ministros do Supremo também falaram sobre os 30 anos da Constituição.

Em sua fala, o ministro Gilmar Mendes afirmou que “talvez, pra o futuro”, deva-se discutir o semipresidencialismo no país. Nesse sistema de governo, a figura do presidente da República fica mantida como nos moldes atuais – escolhido em eleições diretas –, mas introduz no cenário político o primeiro-ministro, indicado pelo presidente eleito.

"Dentro dessa estabilidade há uma visível instabilidade. Dos últimos quatro presidentes eleitos, dois terminaram os mandatos e dois passaram por impeachment", afirmou.

Para o ministro, episódios de corrupção serão uma marca nos 30 anos da Constituição Federal.

“Cá ou lá, nós tivemos escaramuças. Episódios vários de corrupção. Isto vai ser de certa forma uma marca nesses 30 anos. O episódio dos anões do orçamento, em seguida ao episódio de Collor, PC [Farias], mensalão, petrolão, e todos os outros ‘ões’ ainda vão causar graves problemas para todo o sistema”, disse.

Em seguida, o ministro Edson Fachin falou sobre a judiciarização da política. Fachin afirmou que um dos desafios constitucionais é “a defesa da legalidade constitucional e do que a Constituição elegeu como um estado de todos, de um país plural, solidário e democrático”.

O ministro Ricardo Lewandowski disse que a Constituição Federal brasileira é uma das mais avançadas quando se trata de direitos fundamentais e que é preciso estar atento para que não haja retrocesso.

“Todos nós precisamos estar atentos porque os direitos fundamentais constituem o coração do estado democrático de direito. A manutenção desse estado significa a diferença entre civilização e a barbáries”, afirmou.

Postada em 05/11/2018 18:05
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Veja mais de Brasil/Mundo

1

Crueldade

Catador de materiais recicláveis encontra feto dentro de saco de lixo no Sertão de Sergipe

2

Violência

Suspeito de matar homem durante festa em Monteirópolis morre depois de ser linchado

3

Infraestrutura

Prefeito Zé Carlos anuncia R$ 400 mil para pavimentação de ruas da cidade de Água Branca

4

No Amazonas

Espancada pelo namorado, mulher diz que PMs tentaram convencê-la a desistir de denúncia

5

Mais de R$ 96 mil

Coaf aponta que Flávio Bolsonaro recebeu, em 1 mês, 48 depósitos suspeitos

6

Saiba mais

Prefeitura de Delmiro Gouveia divulga Calendário Fiscal 2019 com descontos e parcelamentos

1

Emerson Emídio

Após confusão em bar de Delmiro, levanta-se uma questão – qual a função da SMTT?

2

Investigação

Celular ajuda polícia a descobrir novos crimes de jovem de Inhapi morto em Mata Grande

3

Sob suspeita

Ministério Público abre inquérito para investigar locação de carros pela Câmara de Senador

4

Violência

Família vive momentos de terror durante assalto a residência em Delmiro Gouveia

5

Cumprimento do MPE

Órgãos de segurança visitam bares e restaurantes de Delmiro para combater poluição sonora

6

Emerson Emídio

Rapidinhas da Política – Tempo de fazer alianças

1

Investigação

Celular ajuda polícia a descobrir novos crimes de jovem de Inhapi morto em Mata Grande

2

Violência

Família vive momentos de terror durante assalto a residência em Delmiro Gouveia

3

Em flagrante

Idoso é preso após esfaquear o neto em estabelecimento comercial em Santana do Ipanema

4

Macabro

Cabeça humana com sigla escrita na testa é encontrada em calçada de shopping de Goiânia

5

Feminicídio

Suspeito de “cravar” faca na esposa por causa de ciúmes em Piranhas está sendo procurado

6

Não resistiu

Homem esfaqueado pelo avô em Santana do Ipanema morre após dar entrada em hospital