20/11/2020 09:33:08
Cidades
Inédito no Sertão: Instituto SOS Caatinga resgata filhote de gato-preto em Ouro Branco
Animal tem cerca de um mês de vida e precisa de cuidados especiais para sobreviver; especialistas vão tentar localizar a mãe dele para fazer a reintrodução
Brasília é o Bicho/Instituto SOS CaatingaGato-preto, o "puma" do Sertão, foi resgatado em Ouro Branco
Diego Barros

Um filhote de gato-preto, também conhecido como gato-mourisco ou Jaguarundi (Puma Yagouroundi), foi resgatado pelo Instituto SOS Caatinga, nesta quinta-feira (19), em Ouro Branco.

O achado foi considerado inédito pelos especialistas, uma vez que somente o gato-mourisco “amarelo” vinha sendo monitorado no Sertão alagoano e nenhum com pelagem escura tinha sido flagrado na natureza nos últimos anos. O animal, por isso, é considerado raro e corre risco de extinção, em virtude do aumento da devastação das áreas de Caatinga.

De acordo com o biólogo Marcos Araújo, coordenador do Instituto SOS Caatinga e que fez o resgate, o filhote foi entregue ao Ibama e ao Batalhão de Polícia Ambiental para ser levado ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Maceió, onde deverá receber todos os cuidados necessários para que sobreviva.

Mas, ainda segundo ele, o Instituto quer obter a permissão do dono da propriedade onde o animal foi achado para instalar câmeras especiais na tentativa de localizar a mãe do mamífero. “O quanto antes a encontrarmos, aumentam nossas chances de fazermos a reintrodução desse filhote na natureza e o reencontro dos dois. É uma luta contra o tempo agora”, explicou o biólogo.

Marcos Araújo alertou ainda que, caso a mãe não seja encontrada, a reintrodução dele na natureza ficará mais complicada, primeiro porque, por ser muito novo, ele ainda não pode ser deixado sozinho no meio ambiente, e segundo porque, quanto mais tempo passar em cativeiro, criará mais vínculo com as pessoas que precisarão alimentá-lo nessas primeiras semanas e sofrerá a perda dos hábitos e habilidades para sobrevivência no meio ambiente. “Há o risco dele passar toda a vida em cativeiro”, lamentou.

Além da luta contra o tempo na tentativa de reintroduzir o filhote na natureza, Marcos Araújo enfrenta também as dificuldades da falta de apoio financeiro para manter o Instituto e realizar esse tipo de resgate. A entidade não tem apoio nem de governos, nem de prefeituras e nem de organizações privadas. Todos os custos, desde combustível até alimentação e aquisição das câmeras especiais e outros equipamentos são mantidos por ele próprio com ajuda de alguns colaboradores.

O Jaguarundi ou gato-preto resgatado em Ouro Branco é um mamífero carnívoro e tem como características a pelagem marrom escura ou avermelhada e costuma andar em pares ou sozinho. O felino possui hábitos diurnos em comparação com outros de sua espécie e seu porte não passa de 50 ou 60 centrímetros.

Marcos Araújo agradeceu à equipe do “Brasília É O Bicho” pelo auxílio na identificação do animal.

Atualização:

O texto original dizia que o animal foi resgatado em Água Branca, porém, a reportagem recebeu a informação de que o resgate ocorreu, na verdade, em Ouro Branco.

E-mail: [email protected]
Telefone: (82) 98115-1002

Correio Notícia - Portal de Notícias do Sertão de Alagoas - Mais informação pra você!. ©2021. Todos os direitos reservados.