Buscar

Notícias

Compartilhe:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Ex-jogador Juninho afirma que não fala com 90% da família por terem apoiado Bolsonaro
Ídolo do Vasco da Gama e do Lyon, o ex-jogador classificou o presidente como "filhote do WhatsApp e das fake news"
Por UOL
Juninho Pernambucano afirma que não fala com 90% da família por terem apoiado Bolsonaro - Foto: ROMAIN LAFABREGUE/AFP

O ex-jogador Juninho Pernambucano, ídolo do Vasco da Gama e do Lyon, disse que parou de falar com "80% ou 90%" de sua família e amigos devido ao apoio que eles deram ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2018.

"Bolsonaro é um filhote do WhatsApp e das fake news. As pessoas que apoiavam Bolsonaro eram maioria e foi minha decisão me afastar delas", afirmou o ex-jogador em entrevista concedida ao jornal britânico The Guardian e publicada hoje.

De esquerda, Juninho criticou o que chamou de falta de empatia da elite brasileira no trato da desigualdade.

"O establishment no Brasil não tem empatia e quer que nós não tenhamos também. A elite [econômica brasileira] não entende o tamanho das desigualdades financeiras no país que, se aumentarem, causarão violência. Estamos assistindo isso se desenrolar agora", disse Juninho.

Para o ex-atleta, o Brasil está fazendo "tudo errado" no tocante à pandemia do novo coronavírus. "Sinto uma profunda tristeza", afirmou Juninho, emocionando-se.

"Eu sou brasileiro, sei que somos um país pobre e nosso pessoal precisa trabalhar, mas isso (isolamento social para conter a disseminação do vírus) é uma questão de saúde. Se tivéssemos um lockdown, poderíamos estar perto do fim disso, mas não", lamentou.

Juninho também disse que existem "milhares de George Floyds no Brasil", fazendo referência ao caso do segurança morto asfixiado por um policial branco nos Estados Unidos, para falar do racismo no país.

"Como foi possível uma criança de oito anos ser baleada pela polícia como aconteceu no ano passado no complexo do Alemão?Como é possível viver depois disso? Inacreditável", referenciado ao caso da garota Ágatha Felix, morta em setembro do ano passado.

Postada em 07/07/2020 16:07
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Veja mais de Esportes

1

Boletim

Alagoas tem 71,2 mil casos de Covid-19: 1,7 mil mortes, 4,5 mil doentes e 65 mil curados

2

Decisão

Tribunal de Justiça suspende reabertura de bares e restaurantes em Santana do Ipanema

3

Irregularmente

MPC aponta que 275 servidores públicos de Pão de Açúcar receberam o auxílio emergencial

4

Morador de Água Branca

Homem de 83 anos é o centésimo paciente curado de Covid-19 no hospital de Santana

5

Pode ter punição

Fraude: 227 servidores públicos receberam ilegalmente auxílio emergencial em Monteirópolis

6

Saúde

Secretária de Saúde de Pariconha visita unidades e anuncia reformas

1

Senadinho

Grupo “Filhos de Delmiro” lança Rafael Toledo como pré-candidato a prefeito do município

2

836 receberam

Mata Grande lidera no Sertão fraudes no auxílio emergencial entre servidores públicos

3

Muito conhecido na região

João Neto, ex-gerente da Casal no Sertão, morre em Maceió aos 59 anos

4

Crime em Maravilha

Suspeito de estuprar e matar menina diz que estava drogado e não se lembra do que ocorreu

5

Retomada dos trabalhos

Vereadores retornam às atividades e aprovam proposições para a comunidade

6

Oportunidade

Concurso público de Delmiro Gouveia tem inscrições prorrogadas e data definida para provas

1

Violência

Desentendimento durante bebedeira termina com jovem morto a facada em Delmiro Gouveia

2

Investigação

Testemunha diz que suspeito de matar jovem em Delmiro Gouveia estava com faca desde cedo

3

Obrigada a fazer sexo

Dona de bar é detida suspeita de manter jovem como escrava sexual em Delmiro Gouveia

4

Investigação

Polícia encontra faca usada no assassinato de “Galeguinho” em Delmiro Gouveia

5

Violência

Jovens em moto são interceptados em estrada e mortos com vários tiros em Inhapi

6

Depoimento

Suspeito de matar criança em Maravilha confirma que dava dinheiro para ela comprar doces