Buscar

Wellington Amâncio

Compartilhe:
Quem é Wellington Amâncio ? Professor auxiliar na UFAL - Campus Sertão (2016-2018); mestre em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental pela UNEB; especialista em Ensino de Filosofia (UCAM); graduado em Pedagogia e em Filosofia (UNEB). Escritor, fotógrafo, músico e artista visual.
Indicação de leitura — “As Cidades Invisíveis”
Foto: Divulgação/Internet

Italo Calvino (1923-85) escreveu “As Cidades Invisíveis” em 1972. O livro tornou-se imediatamente um clássico absoluto da Literatura Universal, e com apenas 147 páginas! No Brasil, foi publicado pela Companhia das Letras, entrou no plano FNDE e está presente na maioria das bibliotecas das escolas públicas, desde 2011. Sim, o vi em escolas, está lá, na estante, e aparentemente intacto, nunca talvez folheado, pelo que percebi. Por que digo isto? Uma provocação literária! Ora, como ainda não se percebeu a existência deste livro de rara beleza!?

Italo Calvino, um contador extraordinário de fábulas, nasceu em Cuba, cresceu na Itália. Formou-se em Letras, publicou na revista L’Espresso, no jornal L’Unità, no periódico La Repubblica. Seus livros foram publicados pela editora Einaudie. Se opôs às brutalidades do seu tempo, a exemplo da Segunda Guerra Mundial.

Em “As Cidades Invisíveis” o autor cria um diálogo entre o navegador veneziano Marco Polo e o imperador tártaro Kublai Khan, para narrar acerca dos problemas do mundo e da esperança humana. Na verdade, Calvino toma emprestada a voz de Marco Polo para dizer coisas grandiosas ao nosso espírito humanista. Neste livro de ficção o método é de contrastes e de inversões; a narrativa fabular aponta a pontos extremados: ao bem e ao mal; ao amor e à indiferença; à boa e à má consciência; à atitude moral e ética frente à autodescoberta e às escolhas mínimas — a partir da “viagem existencial” de cada um — em oposição a tudo aquilo que o mundo, isto é, a cidade tem em excesso: “Os outros lugares são espelhos em negativo. O viajante reconhece o pouco que é seu descobrindo o muito que não teve e o que não terá”.

As pequenas narrativas deste livro transitam num jogo entre a memória apaixonada, que evoca um passado vivo, e a presença da cidade e de seus moradores no aqui e agora, porque “de uma cidade, não aproveitamos as suas sete ou 77 maravilhas, mas a resposta que dá às nossas perguntas”.

A personagem de Marco Polo tratará, entre lembrança e esquecimento, alguns valores nobres de convivência consigo e com o Alteridade em geral. E assim, Calvino ainda alude àquela metáfora de esperança, especialmente à pessoa honesta, que insiste na honestidade, “mesmo que o mundo se acabe”, ou quando quase todos jazem no erro.

O livro não nos traz histórias de esperanças simples, mas da certeza de um fazer a própria vida, firme na espera por aquilo que decerto virá, arranjando seu próprio espaço interior, como lugar de estadia do bem, e sem ilusões: “Para descobrir quanta escuridão existe em torno, é preciso concentrar o olhar nas luzes fracas e distantes”.

Calvino sabia que tais “luzes fracas e distantes” não são inalcançáveis e impossíveis. Ele sabia que estas luzes residem no espírito de cada ser vivente, e desde sempre — cabe a cada um de nós aceitá-las e cultivá-las, ou mesmo denegar-se à Luz.

Porquanto, o autor utiliza a voz de Marco Polo, para nos apresentar um último e grande ensinamento. Leiamos na íntegra: O inferno dos vivos não é algo que será; se existe, é aquele que já está aqui, o inferno no qual vivemos todos os dias, que formamos estando juntos. Existem duas maneiras de não sofrer. A primeira é fácil para a maioria das pessoas: aceitar o inferno e tornar-se parte deste até o ponto de deixar de percebê-lo. A segunda é arriscada e exige atenção e aprendizagem contínuas: tentar saber reconhecer quem e o que, no meio do inferno, não é inferno, e preservá-lo, e abrir espaço.

Enfim percebemos de imediato que “As Cidades Invisíveis” é um livro que após sua leitura fará somar bastante a nossa vida interior.

Postada em 28/03/2019 08:49
2 Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Postagens Anteriores1Próximas Postagens

1

Durante abordagens

Polícia recupera duas motos roubadas e prendem duas pessoas em Palestina e Pão de Açúcar

2

Bruno Mafra

A última semana de Jesus – Da entrada em Jerusalém até a ressurreição. Parte final

3

Jairo Ribeiro

Neste domingo, Monteirópolis sedia 2ª Carroçada

4

Beleza

Paulo Afonso sedia Miss e Mister Teen Bahia 2019

5

Maior Transparência

Projeto de Lei propõe que licitações em Delmiro Gouveia sejam transmitidas ao vivo

6

Final do alagoano

"Precisamos fazer o melhor jogo do ano", afirma técnico do CSA

1

Pregão eletrônico

Com valor de R$ 90 mil, empresa baiana vence licitação para fornecer lixeiras para Delmiro

2

Referente a 2019

“Novo contrato nunca existiu”, diz Tony Cloves; secretário de Saúde rebate em entrevista

3

De Olho D'água do Casado

Ex-prefeito Xêpa esclarece que não era pai biológico do jovem que morreu em acidente

4

Na AL-145

Acidente com carro resulta na morte de uma pessoa e deixa outra ferida em Água Branca

5

Causa desconhecida

Idoso é hospitalizado depois de ser encontrado com ferimento na cabeça em Delmiro Gouveia

6

Investigação

“Locação de veículos é porta aberta para corrupção em prefeituras”, afirma Alfredo

1

Batida

Adolescente morre em acidente com motos entre Senador Rui Palmeira e São José da Tapera

2

De Olho D'água do Casado

Ex-prefeito Xêpa esclarece que não era pai biológico do jovem que morreu em acidente

3

Capacidade para 3

Delegacia de Delmiro Gouveia está superlotada com 11 presos em uma cela, denuncia Sindpol

4

Em Ouro Branco

Motorista diz que jogou caminhão contra carro de supostos assaltantes para evitar o crime

5

Senadinho

Delmiro Gouveia: nomes de vereadores são citados em depoimentos ao MPE

6

No "domingão"

Homem sofre acidente com moto e é socorrido com suspeita de fratura nas pernas em Delmiro