Buscar

Notícias

Compartilhe:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Para evitar derrota, Lira desiste de votar PEC da Imunidade e envia texto para comissão
Líderes ficaram contrariados com tramitação acelerada da proposta e discordaram de trechos da matéria
Por Fernanda Calgaro, Luiz Felipe Barbiéri e Elisa Clavery/G1 e TV Globo
Presidente da Casa, Arthur Lira, anunciou comissão para analisar o texto - Foto: Arquivo/Senado Federal

Sem consenso entre os partidos e para evitar uma derrota, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), desistiu na sexta-feira (26) de votar no plenário a PEC da Imunidade e decidiu enviá-la para discussão em uma comissão especial a ser criada, que é o rito de praxe.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) cria novas regras para a imunidade parlamentar. Na prática, as mudanças vão dificultar a prisão de deputados e senadores em alguns casos.

Nos últimos dias, Lira comandou uma articulação para costurar um acordo entre as legendas. A relatora da matéria, deputada Margarete Coelho (PP-PI), chegou a acenar com algumas mudanças no texto a fim de diminuir as resistências.

No entanto, diversos partidos se mostraram contrariados com a tramitação acelerada da PEC, apresentada e incluída diretamente na pauta do plenário dias após a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A desistência de colocar o texto em votação e e a decisão de determinar a criação da comissão para analisá-lo antes de voltar a plenário, portanto, é um revés para o presidente da Câmara.

O teor da proposta e o rito-relâmpago também geraram repercussão negativa na opinião pública e desagradaram a ministros do STF.

Apesar de confirmada pelo plenário da Câmara depois, a decisão do Supremo de prender Silveira incomodou uma parte dos deputados, o que motivou a elaboração da PEC.

O que a PEC prevê

Entre outros pontos, a PEC estabelece que:
- Parlamentar não poderá mais ser afastado do mandato por decisão judicial;

- Parlamentar continuará podendo ser preso em flagrante por crime inafiançável, mas terá que ficar sob custódia da Câmara (no caso de deputado) ou do Senado (se for senador) até que o plenário decida se mantém ou não a prisão;

- Deputados e senadores responderão por suas declarações exclusivamente no Conselho de Ética da respectiva casa legislativa. Não poderão mais ser responsabilizados civil nem penalmente;

- Medida cautelar que afete o mandato parlamentar só terá efeito após ser confirmada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF).

Rito de tramitação
Pelo regimento da Câmara, uma PEC deve passar, primeiro, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que analisa se a proposta está de acordo com os princípios jurídicos e constitucionais.

Depois, o mérito (conteúdo) deve ser debatido em uma comissão especial, que pode alterar a proposta original. A comissão tem o prazo de 40 sessões do plenário para realizar audiências públicas com especialistas e votar uma proposta. Só depois de aprovado um parecer pela comissão é que a PEC segue para o plenário.

No caso da PEC da Imunidade, Lira se aproveitou do fato de que a CCJ — assim como as comissões permanentes — ainda não está instalada e argumentou que, por isso, a tramitação deveria ir diretamente para o plenário.

No entanto, diversos partidos criticaram a alegação, uma vez que há previsão de instalação das comissões já na semana que vem.

Diante da decisão de Lira, o parecer em nome da CCJ foi então apresentado pela relatora no plenário e aprovado na sessão na quarta-feira (24).

Houve uma tentativa de se votar o mérito no dia seguinte, mas a votação acabou adiada diante da ausência do número necessário de votos para a sua aprovação.

Por se tratar de uma emenda à Constituição, são necessários dois turnos de votação no plenário com o apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados. Em seguida, vai ao Senado.

Postada em 27/02/2021 08:56
Comentários

Utilize o formulário abaixo para comentar.

Ainda restam caracteres a serem digitados.
CAPTCHA
Veja mais de Política

1

Estava desaparecida

Trabalhador é encontrado morto dentro de casa em Delmiro Gouveia

2

DROGA EM ALAGOAS

VÍDEO: Mais de meia tonelada de cocaína, que seguia para a Europa, é apreendida em Alagoas

3

Em decomposição

Populares encontram cadáver em povoado de Pão de Açúcar

4

DELMIRO GOUVEIA

Ronaldo Medeiros comemora construção de Centro de Nefrologia em Delmiro Gouveia

5

EM ALERTA

Rio Mundaú sobe e deixa em alerta população e prefeitura de Santana do Ipanema

6

CONTO DO GOLPE

Dupla sertaneja é acusada de golpe e vai parar na Justiça

1

Por transparência

MPE/AL exige que prefeito de Tapera divulgue o que é feito com dinheiro da Covid-19

2

Podcast

Prefeitura de Tapera terá que esclarecer quebra de frasco com vacina para a Covid-19

3

Mal entendido

Prefeitura de Delmiro Gouveia desmente informação sobre fraude nas doses contra Covid-19

4

ESCÂNDALO

Ministério Público começa a investigar políticos e "mortos" que se vacinaram

5

PEDIU PARA SAIR

Delegado Paulo Cerqueira deixa direção da PC após ser indiciado pela PF

6

AVES CLANDESTINAS

Polícia faz operação em Tapera contra quadrilha que vendia aves sonegando impostos

1

Por transparência

MPE/AL exige que prefeito de Tapera divulgue o que é feito com dinheiro da Covid-19

2

Podcast

Prefeitura de Tapera terá que esclarecer quebra de frasco com vacina para a Covid-19

3

NA CHAVE

Suspeito de aplicar mais de R$ 1 milhão em golpes contra idosos é preso em Alagoas

4

Esquema milionário

Justiça afasta ex-juiz de Piranhas acusado de fraude contra a Caixa Econômica Federal

5

AVES CLANDESTINAS

Polícia faz operação em Tapera contra quadrilha que vendia aves sonegando impostos

6

Deverá ser investigado

Polícia tenta prender suspeito de estupro após conversar com pai da vítima em Piranhas